Perguntas frequentes sobre a leitura em língua estrangeira | The Natural Language Institute

Como dominar um idioma para a vida inteira

BLOG

Perguntas frequentes sobre a leitura em língua estrangeira

By Victor - 01/mar/2021 #Línguas e Educação

Agora que você conhece 6 formas excelentes de dominar um idioma pela leitura, vamos abordar algumas perguntas frequentes sobre o assunto.

 

Devo consultar as definições de palavras enquanto eu leio?

Raramente.

A leitura deve representar uma imersão agradável no idioma que você estuda. Se o significado de uma palavra for essencial para entender uma passagem, ou se você se deparou com ela diversas vezes e está bem curioso para conhecer a acepção exata, então, sim, consulte o significado.

Porém, procurar as definições de palavras com muita frequência interromperá o fluxo imersivo, tornará o processo mais lento e provavelmente diminuirá o prazer na leitura. Se estiver lendo material de nível adequado, você conseguirá entender bem as ideias gerais sem compreender cada palavra isoladamente.

Você pode imaginar que, ao consultar cada palavra, vai tirar o maior proveito da experiência de leitura, mas isso não é necessariamente o caso.

De maneira geral, você pode aprender vocabulário estudando definições ou inferindo o sentido das palavras a partir do contexto. Ao consultar menos as definições durante a leitura, você conseguirá ler uma maior quantidade texto em dado tempo, de modo que terá mais oportunidade de absorver significados do contexto. Você perde por um lado, mas ganho por outro. Colocando na balança, a vantagem fica claramente do lado da leitura imersiva ou extensiva, conforme detalhado abaixo.

 

Devo ler em qual nível de dificuldade?

Deixe que o seu prazer na leitura lhe oriente.

Se o que estiver lendo for prazeroso, mas ao mesmo tempo desafiador, isso significa que o input é compreensível e irá fortalecer os seus conhecimentos semânticos e gramaticais.

Você pode testar diferentes níveis para descobrir qual é mais confortável para você, acessando nossas amostras de deveres de casa. Escolha o seu idioma alvo e um nível, e aproveite nosso conteúdo cuidadosamente selecionado.

 

Como posso começar a ler se tenho um nível básico?

Além de literatura infantojuvenil e os graded readers, existem muitas outras possibilidades. Por exemplo, se estiver estudando o inglês, uma ótima fonte é o Simple English Wikipedia. Também existem diversas fontes de notícias em inglês simplificado, tais como News in Levels e Breaking News English.

Terei satisfação em lhe ajudar descobrir fontes que se adequem a seus interesses e objetivos, especialmente se estiver estudando inglês, espanhol, francês ou português.

Discorro sobre esse tema também no post anterior, de forma mais detalhada.

 

É melhor ler de forma extensiva ou intensiva?

A respostas fácil a essa pergunta é que você pode fazer os dois, a depender da sua preferência e estado de ânimo.

Porém, vou me posicionar claramente do lado da leitura extensiva.

Primeiro, vamos definir os dois termos. De acordo com a Wikipédia, “A leitura extensiva, leitura livre, inundação literária ou leitura por prazer é uma forma de aprender idiomas, inclusive idiomas estrangeiros, por meio de grandes quantidades de leitura [...] Na aprendizagem de idiomas, a leitura extensiva se destaca da leitura intensiva, que é a leitura lenta e cuidadosa de uma pequena quantidade de texto difícil – é quando o ‘foco está no idioma em vez do texto’.”[1]

Eu já comecei a responder essa pergunta acima. Resumidamente, você aprenderá mais vocabulário e gramática por página com a leitura intensiva, mas não necessariamente por hora de estudo, já que com a leitura extensiva você conseguira ler muito mais texto no mesmo período de tempo e, dessa forma, absorver mais vocabulário e gramática a partir do contexto.

Existem diversas vantagens de absorver significados a partir do contexto, começando com um maior prazer e fluxo imersivo na leitura, que se traduz em maior concentração. O aprendizado de vocabulário e gramática a partir do contexto leva a uma maior retenção a longo prazo, uma compreensão mais matizada das conotações das palavras e uma maior capacidade de utilizar o vocabulário de forma apropriada na sua própria produção oral e escrita.

Além disso, há um ponto sutil, mas importante. Digamos que você ainda tem um nível básico de inglês e se depara com a palavra “jentacular”. Se você estiver seguindo a abordagem “consulta tudo” ou intensiva, você vai gastar um minuto buscando a definição da palavra. A não ser que a definição fosse imprescindível para compreender o texto, você terá de desperdiçado um minuto, pois é altamente improvável que você encontre essa palavra novamente, e se decidir utilizá-la em conversação, ninguém vai lhe entender.

Já no método de leitura extensiva, você muito tranquilamente passará por cima de tais palavras. Desse modo, naturalmente você aprenderá as palavras e estruturas gramaticais de forma proporcional à frequência com que elas se repetem em vários textos. Fundamentalmente, esse método garante que você sempre aprenderá as palavras mais frequentes e as estruturas gramaticais mais comuns. Trata-se de um ingrediente chave na aquisição eficiente de idiomas.

Se você quiser mergulhar nas pesquisas acerca da leitura extensiva, consulte a incrível Bibliografia Comentada de Trabalhos sobre Leitura Extensiva em um Segundo Idioma.

 

Vale a pena reler livros e passagens?

Somente se você tiver prazer e verdadeiro engajamento na segunda leitura. Do contrário, é melhor continuar lendo coisas novas que despertem o seu interesse.

O encanto dos idiomas está na sua infinita variedade.

É igualmente bom — ou até melhor — fixar uma palavra na sua memória ao vê-la dezenas de vezes em diferentes contextos do que no mesmo contexto repetido, vez após vez. No entanto, se você ama tanto um livro que deseja lê-lo novamente, vá em frente, já que o seu engajamento permitirá que continue aprendendo e reforçando seus conhecimentos linguísticos.

Eu me lembro que, quando tinha uns 8 anos de idade, li o livro que, até hoje, é o meu preferido do meu autor preferido de literatura infantojuvenil – The Witches, de Roald Dahl. Curti tanto a leitura que reli o livro várias vezes. Após a quinta leitura, uma pessoa poderia ler qualquer frase desse livro de mais de 200 páginas para mim, e eu conseguiria, imediatamente, dizer qual era a frase seguinte.

Como ficava muito animado a cada leitura, certamente a repetição foi proveitosa para o meu inglês.

 

É interessante ler livros traduzidos?

Algumas pessoas defendem a leitura comparativa ou paralela – isto é, ler um texto na sua língua nativa e no idioma que você está aprendendo. Não faça isso. 50% do seu tempo será perdido.

Colocando de lado essa ideia de leitura paralela, não há problema em ler obras traduzidas (apenas no seu idioma alvo), já que muitas traduções são de ótima qualidade.

Não obstante, eu recomendo que você dê preferência para conteúdos escritos inicialmente em seu idioma alvo, por dois motivos. Primeiro, embora as traduções possam ser excelentes, algum grau de qualidade artística, persuasiva e linguística do original é inevitavelmente perdido no processo de tradução.

Mais importante ainda, ler obras originais lhe ajudará a compreender melhor a cultura e forma de pensar associadas ao idioma, o que contribuirá para a sua experiência geral e sua capacidade comunicativa.

Para ilustrar, imagine dois estudantes de português. Um lê traduções de livros da Disney, e depois Shakespeare, em português. O outro lê Monteiro Lobato e depois Machado de Assis e José Saramago. Qual deles adquirirá uma intimidade maior com a língua portuguesa e a cultura luso-brasileira?

 

Terminamos aqui nossa série em três partes sobre a leitura.

Se você tiver qualquer dúvida que eu não abordei nesses posts, ou se precisar de ajuda para colocar as sugestões em prática, entre em contato comigo. Também ficarei muito feliz em saber suas opiniões ou experiências sobre a aprendizagem de idiomas pela leitura.

Share:

See other blog posts