Sobre o autor, Victor Hart | Natural Language Institute

Como dominar um idioma para a vida inteira

BLOG

Sobre o autor, Victor Hart

By Victor - 15/jan/2021 #Línguas e Educação

Minha motivação em querer ajudá-lo a dominar uma língua estrangeira está intimamente ligada à minha história de vida. A capacidade de aprender idiomas me permitiu o luxo de viver onde e como eu quiser. Ao longo do caminho, descobri estratégias altamente efetivas de aquisição de línguas, que vou compartilhar por meio deste blog.

Eu me formei na Williams College, em Massachusetts, no ano 2000, mas em vez de trabalhar em um dos bancos de investimento que recrutavam talentos em Williams, decidi morar numa fazenda abandonada, no interior do Brasil, sem energia elétrica e com a cidadezinha mais próxima a uma distância de oito quilômetros caminhando ou treze quilômetros pedalando. Estava sedento por desafios e aventuras.

Um desafio que me atraía especialmente era linguístico. Será que eu conseguiria me livrar do sotaque americano no meu português? Conseguiria um dia falar com a eloquência e escrever com a precisão de um brasileiro culto? Em outras palavras, seria possível eu me tornar um falante nativo de um segundo idioma? Larguei minha lista quilométrica de vocabulário e meu manual de gramática, pois percebi que esses métodos de dominar um idioma são, na melhor das hipóteses, desajeitados. Em seu lugar, mergulhei no trabalho, o que me permitiu uma imersão constante em português – primeiro na fazenda, e depois numa pequena empresa que abri na cidade para ensinar inglês.

O que me motivava a ensinar línguas, e não apenas aprendê-las, eram as minhas observações durante viagens internacionais na minha infância sobre o que funcionava bem – e não tão bem – nas diversas abordagens adotadas pelas pessoas na aquisição de idiomas. Minha experiência como professor abonou muitas das minhas percepções precoces, enquanto desmontou outras. Por exemplo, confirmou que as pessoas que entram de cabeça na comunicação autêntica – que leem, ouvem, falam e escrevem – aprendem muito melhor e mais rápido do que aquelas que tratam os idiomas como algo a ser estudado por meio de explicações, exercícios e traduções. Porém, contradisse minha presunção de que era necessário viver no exterior para dominar um idioma. Enquanto muitas pessoas passam longos períodos em países estrangeiros sem avançar muito, deparei-me com alguns brasileiros que, sem nunca terem deixado o país, falavam um inglês impecável.

Para continuar financiando meu projeto de recuperação da fazenda, transferi minhas ambições empresariais para Brasília, a menos de duas horas de carro da minha morada rural. Em pouco tempo, contratei outros professores nativos para ensinar não apenas inglês, mas também espanhol, francês e português para estrangeiros: nasceu The Natural Language Institute. Enquanto eu alcançava meu objetivo de domínio nativo do português, ajudei milhares de pessoas a melhorarem o seu domínio do inglês e de outros idiomas, atuando primeiro como instrutor, depois como coordenador e desenvolvedor de cursos.

Continuava desfrutando dos finais de semana na fazenda e o Instituto crescia paulatinamente, mas ainda não gerava lucro. Por isso, quando nasceu minha linda filha Camila, decidi prestar um concurso para auditor do Tribunal de Contas da União – apenas para ter uma primeira experiência dessas provas de dificuldade notória. Minha imersão de anos na língua portuguesa rendeu frutos e, para a minha grande surpresa, passei com nota máxima.

Fui lotado na área de relações internacionais, onde acreditava que seria muito demandado pelo meu inglês nativo. Curiosamente, devido à importância crescente das relações com cortes de contas na América Latina e ao fato de que nossa secretaria já contava com vários servidores com inglês fluente, fui encarregado de um projeto de cooperação em língua espanhola. Decidi aproveitar ao máximo a oportunidade para dominar um terceiro idioma. Tinha aprendido espanhol no colégio e na faculdade, mas me empolguei com a ideia de subir vários degraus de fluência.

Diariamente, preparava emails e ofícios e participava de ligações e videoconferências; além disso, missões oficiais no exterior me permitiam, ocasionalmente, fazer imersão total no idioma durante vários dias consecutivos. Não posso afirmar que alcancei um nível de domínio nativo, mas cheguei ao ponto de conseguir negociar questões intricadas e controversas com falantes nativos sem levar desvantagem e preparar documentos complexos com a mesma facilidade que o fazia em inglês ou português. Quando nas viagens tinha a oportunidade de sair à noite ou no final de semana, ficava feliz que ninguém desconfiava que eu fosse brasileiro ou americano. Eu era tido como um residente local ou um visitante de outro país de língua espanhola.

Ao passo que meu inglês e, especialmente, português permitiram que eu fosse aprovado no concurso, foi o meu espanhol que alavancou meu bom desempenho na carreira e acabou levando à minha nomeação como secretário de relações internacionais do TCU.

Acabei deixando a área de relações internacionais dois anos atrás para entrar na área de TI, esperando me tornar fluente em outro tipo de linguagem – Python, uma linguagem de programação utilizada em desenvolvimento de softwares, ciência de dados e aplicações de aprendizagem de máquina. Embora a comunicação com computadores seja muito diferente da conversação com humanos, uma compreensão mais aprofundada dos dois tipos de comunicação está me permitindo orientar o uso da tecnologia para aprimorar a metodologia do Instituto.

Há cinco meses, decidi melhorar o meu francês, que eu aprendi durante um semestre numa escola francesa quando eu tinha doze anos, mas que desde então tenho usado raramente. É muito divertido utilizar o método que eu criei para melhorar meu francês. Eu disponho de apenas uma hora por semana para aulas e umas duas horas para estudo independente, mas estou satisfeito com o meu progresso e pretendo continuar até atingir um nível de domínio semelhante àquele que alcancei no espanhol.

Agora eu quero ajudar você a alcançar os seus objetivos e sonhos linguísticos. Como você já sabe, amo as línguas e tenho paixão por ajudar as pessoas a aprendê-las. Se você quiser compartilhar as suas próprias experiências comigo ou fazer alguma pergunta, mande uma mensagem agora mesmo utilizando o formulário a seguir. Tenha certeza de que eu lhe responderei em breve.


See other blog posts

Logo Whatsapp