6 maneiras de dominar um idioma pela leitura | Natural Language Institute

Como dominar um idioma para a vida inteira

BLOG

6 maneiras de dominar um idioma pela leitura

1ª Parte

By Victor - 01/feb/2021 #Línguas e Educação

De todos os meus alunos, o brasileiro com o inglês mais avançado era um apaixonado pela literatura americana. Ele tinha lido dezenas de romances americanos e sua fluência e vocabulário eram extraordinários.

Meu pai lia um romance francês por ano na década de 1970 e, assim, manteve suficiente proficiência no idioma para ser aprovado numa entrevista que lhe rendeu um ótimo emprego num país francófono, apesar de ter passado os oito anos anteriores falando só português no interior do Brasil.

Esses exemplos ilustram por que a leitura é tanto um importante objetivo na aquisição de línguas quanto um meio essencial para dominar um idioma para a vida inteira.

Para aprender a quantidade gigantesca de vocabulário e as incontáveis nuances das estruturas gramaticais necessárias para alcançar um alto nível de fluência, não existe nada melhor de que ler no seu idioma alvo.

A audição, escrita e fala são também habilidades essenciais que você não pode ignorar, pois funcionam de forma sinérgica com a leitura para propulsionar a fluência geral da forma mais rápida e sólida.

O que faz da leitura, em si, uma prática tão importante?

A linguagem escrita tende a ser mais precisa, elegante e ricamente variada do que a linguagem oral, especialmente se você escolher bem as suas fontes. Você pode ler sozinho, a qualquer hora, sobre o tema que quiser, e mais rapidamente do que jamais é possível ouvindo áudios.

Essa combinação de quantidade, qualidade e variedade na leitura faz com que ela seja a melhor forma de absorver as dezenas de milhares de palavras e suas variadas conotações, as infindáveis combinações léxicas e os padrões gramaticais complexos imprescindíveis para uma fluência avançada em um idioma.

A linguagem é complexa demais para você conseguir avançar muito por meio da memorização ou estudo de regras.

Felizmente, o seu cérebro tem uma capacidade única para adquirir os idiomas naturalmente. Ele só precisa da imersão, e a leitura é um jeito maravilhoso para obter essa imersão diariamente. Como disse o linguista e pesquisador educacional Stephen Krashen:

a leitura faz bem. Porém, as pesquisas levam a uma conclusão mais forte. Ler é a única maneira, a única maneira de se tornar um bom leitor, desenvolver um bom estilo de redação, um vocabulário adequado, uma gramática avançada e uma boa ortografia.[1]

Vamos considerar seis formas fantásticas de aprender o seu idioma desejado por meio da leitura, começando com duas das melhores.

 

1. Devore a literatura

Seja como meu pai e como aquele estudante de inglês brasileiro super avançado e utilize a literatura para dominar um idioma para a vida inteira.

Se eu tivesse que recomendar apenas uma abordagem específica para a aquisição de idiomas, seria a de ler grandes quantidades de literatura, ouvir os livros em áudio, escrever redações baseadas na leitura e discutir a literatura com um falante nativo que corrija sua escrita e fala.

A literatura de boa qualidade é a máxima expressão do poder elegante de um idioma, além de encapsular a cultura e a forma de pensar próprias da língua.

Desse modo, ter um ótimo livro na sua cabeceira é como contratar falantes nativos com o maior domínio do idioma que você está aprendendo para estar à sua total disposição, praticamente sem custo.

A literatura engaja, prende e enriquece.

Mergulhe durante horas sem fim em literatura fina e seu cérebro se tornará um repositório vasto de vocabulário e gramática refinada. Você ainda precisará desenvolver a compreensão auditiva e a fala, além de alguma linguagem coloquial contemporânea, mas esses processos se tornarão incomparavelmente mais fáceis depois, se você tiver feito imersões literárias.

Obviamente, quando você estiver apenas começando o estudo de um idioma, não dá para encarar a literatura erudita. Para fazer qualquer tipo de leitura, primeiro você deve aprender algumas centenas de palavras e as estruturas gramaticais básicas. Explicarei tudo que você precisa saber sobre esse “primeiro semestre” de estudo de uma nova língua em publicações futuras.

Porém, mesmo após esse primeiro semestre, você ainda não estará preparado para ler Victor Hugo, Gabriel García Marquez, Machado de Assis ou Charles Dickens. Seguem duas formas excelentes de se chegar lá:

  • Utilize graded readers (livros graduados), disponíveis em vários idiomas, para gradualmente desenvolver o vocabulário necessário para, depois, encarar a literatura autêntica. Os graded readers são, frequentemente, adaptações de romances ou outros textos originais utilizando estruturas simplificadas e vocabulário restrito.
  • Melhor ainda: comece com a literatura infantojuvenil. Inicie com os livros mais simples para crianças em alfabetização, logo passe para a literatura infantil mais complexa, livros em capítulos e finalmente a literatura juvenil. Livros infantis e juvenis têm, muitas vezes, uma qualidade incrível, sendo muito mais interessantes e bem escritos do que os graded readers, mas tão acessíveis quanto esses.  

Eu acredito tanto nessa abordagem que estou desenvolvendo um curso inteiro de inglês baseado na literatura infantojuvenil.

Se você quiser aprender inglês, francês, espanhol ou português utilizando a literatura infanto-juvenil ou graded readers, entre em contato comigo e eu lhe ajudarei a escolher materiais de leitura específicos.

 

2. Leia sobre o que lhe interessa, apaixona ou motiva

O segredo para o domínio de idiomas para a vide inteira está em buscar seus interesses, objetivos e paixões no seu idioma alvo.

O tempo é o recurso mais em falta para todos nós. Portanto, se você quiser verdadeiramente dominar um ou mais idiomas estrangeiros, você deve aprender a matar dois coelhos com uma cajadada só.

Resumidamente, você deve substituir muito do conteúdo que você lê (e ouve) na sua língua nativa com conteúdo similar no seu idioma alvo.

Você precisa entender melhor uma área de conhecimento para resolver um problema no seu trabalho? Você tem um hobby sobre o qual sempre gosta de aprender algo novo? Seja qual for a sua área de interesse, compre ou pegue emprestado um livro, assine uma revista ou simplesmente pesquise no google na língua que você está estudando.

Talvez você resista à sugestão porque pensa que vai levar mais tempo e entender menos pesquisando numa língua estrangeira do que na sua língua nativa. Pode até ser, e obviamente não estou sugerindo que você nunca mais leia no seu idioma materno. Porém, você deve ter em mente que essa diferença vai se reduzindo com tempo, e que além dos benefícios em termos de aquisição linguística, existem outras vantagens importantes de se estudar num idioma estrangeiro: as pesquisas revelam que o seu cérebro literalmente ficará maior[2], você adquirirá novos insights a partir de outra perspectiva cultural e superará vieses cognitivos e, assim, fortalecerá o seu raciocínio[3].    

Ao ler sobre temas que você gosta ou precisa no seu idioma alvo, você não apenas vai economizar muitíssimo tempo; também vai estar naturalmente engajado naquilo que está lendo, favorecendo, assim, a concentração e o aprendizado. 

Precisa de ajuda para começar? Conte-me sobre as suas necessidades e áreas de interesse, e eu lhe ajudarei a escolher materiais no idioma que está estudando.

E não perca a próxima publicação, na qual vou detalhar quatro outras maneiras de dominar um idioma pela leitura, além de responder algumas perguntas frequentes sobre a temática.


[1] Krashen, S. (1993). The power of reading: Insights from the research. Englewood, Co.: Libraries Unlimited, p. 23.

[2] Um estudo envolvendo alunos da Academia de Intepretação das Forças Armadas Suecas revelou que um programa intensivo de estudo de idiomas causou crescimento mensurável no hipocampo e em três áreas do córtex cerebral, enquanto alunos de medicina e ciências cognitivas estudando intensamente no mesmo período não experimentaram mudanças similares na sua estrutura cerebral. (Johan Mårtensson, Johan Eriksson, Nils Christian Bodammer, Magnus Lindgren, Mikael Johansson, Lars Nyberg, Martin Lövdén. Growth of language-related brain areas after foreign language learning. NeuroImage, 2012; 63 (1): 240 DOI: 10.1016/j.neuroimage.2012.06.043)

[3] Um estudo publicado no Journal of Experimental Psychology revela que pessoas bilíngues são “consistentemente menos suscetíveis a esse viés egocêntrico” e têm uma “vantagem em termos de raciocínios baseados em crenças falsas” (Rubio-Fernández, P., & Glucksberg, S. (2012). Reasoning about other people's beliefs: Bilinguals have an advantage. Journal of Experimental Psychology: Learning, Memory, and Cognition, 38(1), 211–217. https://doi.org/10.1037/a0025162).

De forma similar, um estudo publicado no European Journal of Psychology afirma que “usar uma língua estrangeira reduz vieses em tomadas de decisão”. (Keysar B, Hayakawa SL, An SG. The foreign-language effect: thinking in a foreign tongue reduces decision biases. Psychol Sci. 2012 Jun;23(6):661-8. doi: 10.1177/0956797611432178. Epub 2012 Apr 18. PMID: 22517192.)


See other blog posts